Informativo

Economista brasileiro, algumas dicas de como manter-se informado.

Saudações colegas!

A nossa profissão exige constante acompanhamento de dados, indicadores e índices e de uma interpretação que vai de graus mais simples a mais complexos. A análise se torna mais completa e eficiente na medida em que conseguimos transformar dados em informação e conhecimento. Dito isso, de onde costumamos buscar informações? Quais são nossas fontes de dados? Alguns procuram em jornais, revistas, redes sociais. Essas fontes, contudo, podem passar pelas mãos de editores e pelo julgamento de quem as escreve e, por causa disso, são passiveis de apresentar ruídos (censura, informação incompleta ou, até mesmo, distorções e mentiras). Por isso, não se limite a buscar ler apenas fonte de informação do tipo secundária.

Uma fonte importante de dados são sites de estatísticas. Mas, também, devemos ser céticos por que as metodologias de cálculo de indicadores podem ser alteradas (http://www.jb.com.br/economia/noticias/2016/01/30/governo-altera-metodologia-para-divulgacao-de-dados-da-balanca-comercial/http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2015/03/ibge-muda-forma-de-calculo-do-pib-e-corrige-resultados.html)

Entre as duas fontes, é preferível usar os dados estatísticos seja para se informar como para confirmar alguma noticia.

Dito isso, gostaria de recomendar para aqueles que buscam informações sobre a economia sob uma perspectiva internacional os sites:

COMTRADE

http://comtrade.un.org/

e

Estatisticas da FAO

http://faostat3.fao.org/home/E

Ambos sites são fáceis de manusear, são ilustrativos e interativos. Além disso tem como respaldo as Nações Unidas.

Já no âmbito nacional recomendo:

www.ibge.gov.br/

www.ipeadata.gov.br/

www.dieese.org.br/

http://www.bmfbovespa.com.br/

Os sites brasileiros, infelizmente, são um pouco confusos e em alguns casos possuem séries entrecortadas que dificultam um pouco nosso trabalho. Não se esqueça também de navegar nas paginas de empresas e de órgãos do governo já que esta em vigor a lei da transparência (http://www.leidatransparencia.cnm.org.br/). Caso não encontre alguaminformação exija a sua divulgação.



Greetings colleagues!

Our profession requires constant monitoring of data, indicators and indices and an interpretation that goes from simple to more complex levels. The analysis becomes more complete and efficient when we are able to transform data into information and knowledge. That said, where we usually look for information? What are our sources of data? Some look in newspapers, magazines, social networks. These sources, however, can pass through the hands of editors and the judgment of those who write them and, as a result, are likely to present noise (censorship, incomplete information or even distortions and lies). So do not just get read only information source of the secondary type.

An important source of data are statistical sites. But also, we should be skeptical because the indicator calculation methodologies can be changed (http://www.jb.com.br/economia/noticias/2016/01/30/governo-altera-metodologia-para-divulgacao-de-dados-da-balanca-comercial/ and http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2015/03/ibge-muda-forma-de-calculo-do-pib-e-corrige-resultados.html)

Between the two sources, it is preferable to use the statistical data to inquire as to confirm any news.

That said, I would recommend for those seeking information on the economy from an international perspective sites:

COMTRADE

http://comtrade.un.org/

and

FAO Statistics

http://faostat3.fao.org/home/E

Both sites are easy to handle, are illustrative and interactive. Additionally has as the United Nations support.

In the nationwide recommend:

http://www.ibge.gov.br/

http://www.ipeadata.gov.br/

http://www.dieese.org.br/

http://www.bmfbovespa.com.br/

Brazilian sites, unfortunately, are a bit confusing and in some cases have intersected series that hinder rather our work. Also be sure to browse the pages of companies and government agencies as this in effect the law of transparency (http://www.leidatransparencia.cnm.org.br/). Should you not find alguaminformação requires their disclosure.

Padrão
Conjuntura economica

Ideologias e a crise econômica / Ideologies and the economic crisis

Situações de crise abrem espaço para teóricos revolucionários promover movimentos de destruição e de critica a um segmento da sociedade. Porém, promovem a destruição sem ter em mente metas claras. Depois de quebrar sistemas políticos e produtivos o que ocorre? O estado assume (Cuba, Rússia, Bolívia, entre outros) e “exclui” todos aqueles contrários a ideologia? A sociedade vive na anarquia? A sociedade não é tão simples e não age como comunidade de formigas ou abelhas. A humanidade tem pluralidades com gestores, empreendedores, pensadores, etc. É uma tarefa impossível instaurar um sistema lógico sem falhas.

As soluções podem surgir quiça por meio da analise da história recente e de teóricos de diversas correntes. Principalmente, daqueles que trataram do crescimento e desenvolvimento econômico. Alguns dos economistas mais conhecidos e lembrados até os dias de hoje continuam sendo Schumpeter (inovação e ciclos de desenvolvimento), Adam Smith (precursor do Liberalismo e Neo liberalismo), David Ricardo (Comercio internacional e vantagens comparativas), Keynes (Consumo e Gastos públicos), Friedman (contra posição a Keynes, liberalismo e estado mínimo) e Marx (crítica e análise do sistema capitalista).

Mas existem, também, outros teóricos antigos e novos que sugerem saídas interessantes para crises econômicas e políticas. Como forma de evitar a visão voltada sempre para os países do primeiro mundo temos, por exemplo, Raul Prebisch (CEPAL). Além disso, surgem novas líneas de raciocínio que continuam sendo debatidas recentemente baseadas em autores como Ignacy Sachs (Desenvolvimento sustentável),Juan Martínez Alier (Economia Ecologica).

As análises e debates entre economistas tanto na academia quanto nas mídias continuam vazios e pontuais. Somos reféns de um modelo ilógico que reúne taxas de juros e impostos elevados, estado de participação elevada, falta de meritocracia, produção com predominância de produtos de baixo valor agregado, baixo incentivo a P&D. Todas essas medidas fazem parte da falta de gestão, conhecimento e análise de teorias para buscar saídas para crise menos agressivas para a sociedade em todo sentido (econômica, social e ambiental).

Quem sabe mudando as regras a sociedade e os políticos passem a buscar agir com eficiência, clareza, transparência, racionalidade, cooperatividade e solidariedade e acima de tudo ter entusiasmo com o país e não com o próprio partido político.



Crisis situations open space for revolutionary theorists promote movements of destruction and critical to a segment of society. However, promote the destruction without having in mind clear goals. After breaking political and productive systems what happens? The state assumes (Cuba, Russia, Bolivia, etc.) and “exclude” all those opposed to ideology? Society lives in anarchy? Society is not so simple and does not act as a community of ants or bees. Mankind has pluralities with managers, entrepreneurs, thinkers, etc. It is an impossible task to establish a logical seamless system.

The solutions may arise perhaps through analysis of recent history and theorists from various currents. Especially those that dealt with the economic growth and development. Some of the best known economists and remembered to this day remain Schumpeter (innovation and development cycles), Adam Smith (precursor of Liberalism and Neo liberalism), David Ricardo (international trade and comparative advantages), Keynes (consumption and public spending ), Friedman (against position to Keynes, liberalism and minimal state) and Marx (critique and analysis of the capitalist system).

But there are also other old and new theorists who suggest interesting outputs for economic and political crises. In order to avoid facing vision always to the first world countries have, for example, Raul Prebisch (ECLAC). In addition, there are new líneas of reasoning that are still debated recently based on authors such as Ignacy Sachs (sustainable development), Juan Martínez Alier (Ecological Economics).

The analysis and debate among economists both academia and the media remain empty and punctual. We are hostages of an illogical model which includes interest rates and high taxes, high participation status, lack of meritocracy, production with predominance of low value-added products, low incentive to R & D. All these measures are part of the lack of management knowledge and analysis of theories to seek outlets for less aggressive crisis to society in every sense (economic, social and environmental).

Perhaps changing the rules society and politicians start to seek to act with efficiency, clarity, transparency, rationality, cooperativeness and solidarity and above all have enthusiasm for the country and not with their own political party.

Padrão
Conjuntura economica

Coxinhas, enroladinhos, etc…/ Stereotipes in political views

Não entendo essas expressões como “coxinha”, “empadinha” e “enroladinho” e prefiro nem entrar nesse debate.

Antes de ter um posicionamento político, particularmente, preferiria que cada um tivesse uma opinião própria. Sou partidario de uma visão alternativa ou uma terceira via.

Estudei por um bom tempo a teoria de desenvolvimento economico e a evolução da teoria para o desenvolvimento sustentável (que reúne e relaciona um conjunto de aspectos entre os quais se destacam os de cunho social, economico, político e ambientais)

(http://tcc.bu.ufsc.br/Economia291562).

Há na visão política atual a predominância da ideia de que desenvolvimento=crescimento. E isso se deve ao fato de que até hoje não foram criadas condições solidas para estabelecer uma estrutura industrial ou tecnologica (seguindo o exemplo da Embraer) capaz de absorver e trabalhar sobre a riqueza agregando valor sobre os bens “crús” e de absorver a mão de obra qualificada gerada que tem migrado a um ritmo mais acelerado para paises com economias baseadas na P&D, inovação e criação de patentes.

Brasil é um país com uma riqueza natural imensa (agua, solo fertil, recursos naturais, etc.) e a preservação dessa riqueza é crucial não só para o Brasil, mas para o mundo.

Desde décadas atrás até hoje predominam como principais componentes do PIB o agronegocio de commodities em grande escala (carnes, soja, cana de açúcar, milho, etc. – mecanizado e com baixo indice multiplicador de renda) e a exportação de minério crú ou de baixo valor agregado (ferro e metais com baixo valor agregado e também com baixo indice multiplicador de renda) e a exportação de pretróleo cru.

(https://atlas.media.mit.edu/pt/profile/country/bra/)

No debate entre as duas posições de maior peso não há um aceno pra uma visão racional sobre o futuro do país. Na epoca da eleição vi nos discursos do Eduardo Jorge (Partido Verde) e da Marina Silva (PSB) idéias com as quais me identifiquei.

A realidade brasileira hoje é marcada por uma série de retrocessos que ofuscam e fazem retroceder alguns dos legados do Partido dos Trabalhadores (Fortalecimento economico do Nordeste,Bolsa família, auxilios para moradia e financiamentos a taxas abaixo da inflação, a profissionalização da mão de obra e o espaço que foi aberto para classes menos favorecidas terem acesso ao ensino superior):

O valor das empresas que compôem a Ibovespa perderam perto de US$ 1 trilhão no governo Dilma

http://www.gazetadopovo.com.br/…/empresas-brasileiras-perde…
http://www.financista.com.br/…/bolsa-perde-us-1-trilhao-em-…

Baseado na composição da participação de investidores na bolsa de valores: 29 % investimento estrangeiro, 11 % institucional, 7 % Pessoas Físicas (http://www.bmfbovespa.com.br/…/BuscarParticipacaoInvestimen…) nota-se que o aumento do dolar na margem próxima aos R$ 4,00 no Brasil ocorreu uma debandada de investidores estrangeiros pela perda de grau de investimento por uma das 3 agências de classificação de risco (http://g1.globo.com/…/brasil-perde-grau-de-investimento-em-…).

A copa do mundo nem de longe deixou o legado em termos de infraestrutura prometidos (http://www.gazetadopovo.com.br/…/que-legado-a-copa-nos-deix…)

Vai ser realizada a Olimpiada com investimento bilhonário cujo efeito temporário (turismo) refletira com maior peso apenas no Estado do Rio

As grandes obras do governo (PACs), em sua grande maioria, tem descumprindo prazos, tem sido abandonadas além de superfaturadas.

http://atarde.uol.com.br/…/1714803-atrasos-no-pagamento-de-…
http://www.pbagora.com.br/conteudo.php…
http://www.regiaonoroeste.com/portal/materias.php?id=126594

O Estado cresceu de tal forma que hoje se tornou insustentável. Isso têm obrigado tanto o país quanto aos estados a ter que negociar cortes em planos sociais no lugar de corte em cargos comissionados (cuja existência e incidência é uma aberração) para poder cumprir as Lei de Diretrizes Orçamentárias. SEmpre e quando não são alterados itens da Lei para poder dibra-la como aconteceu no caso da vergonhosa aprovação da PLN 36/14

http://www.ebc.com.br/…/entenda-o-que-e-o-pl-3614-que-muda-…

O Ministro da Fazenda tem adotado uma visão miope a favor do setor financeiro. Os Swaps cambiais para controlar o aumento do dolar tem gerado lucros en torno dos R$ 120 bilhões para os bancos.

http://politica.estadao.com.br/n…/geral,nova-noticia,1710048

Uma das taxas de juros mais altas do mundo justificada pelo controle da inflação mas que também evita uma saída ainda maior de dolares do país que poderia provocar um grande desequilibrio macroeconomico.

O quadro economico não é dos melhores, e o debate não pode se resumir apenas ao que o fulano ou cilcano propõe pra sair desta situação. É preciso uma conscientização racional da atual situação e uma expansão no sentido de expor, com base numa posição conscientizada e cidadã, o que cada um de nós quer para melhorar a situação do país de forma consistente.



I do not understand these expressions as “coxinha”, “empadinha” or “enroladinho” populary used in Brazil and I’d rather not get into that debate.

Before having a political position, particularly I prefer that each had their own opinion. I am a partisan of an alternative vision or a third way.

I studied for a long time the economic development theory and evolution theory for sustainable development (which gathers and lists a number of aspects among which we highlight the social, economic, political and environmental)

(Http://tcc.bu.ufsc.br/Economia291562).

There in the current political vision the predominance of the idea that development = growth. And this is due to the fact that until today were not created sound conditions for establishing an industrial or technological structure (following the example of Embraer) able to absorb and work on wealth by adding value to the goods “crude” and absorbing hand generated from skilled labor that has migrated to a faster pace for countries with economies based on R & D, innovation and patenting.

Brazil is a country with immense natural wealth (water, fertile soil, natural resources, etc.) and the preservation of this wealth is crucial not only for Brazil but for the world.

Since decades ago until today predominate as key components of GDP large-scale agribusiness commodities (meat, soy, sugar cane, corn, etc. – mechanized and low income multiplier index) and the export of raw ore or low value added (iron and metals with low added value and with low income multiplier index) and the export of raw pretróleo.

(https://atlas.media.mit.edu/pt/profile/country/bra/)

In the debate between the two higher weight positions there is a nod to a rational view on the future of the country. In the election of the season saw the discourse of Eduardo Jorge (Partido Verde) and Marina Silva (PSB) ideas with which I identified.

The Brazilian reality today is marked by a series of setbacks that outshine and make back some of the PT (Partido dos Trabalhadores) legacy  (economic Northeastern Strengthening, family allowance, aid for housing and financing at rates below inflation, hand professionalization of work and the space that was open to the lower classes have access to higher education):

The value of the companies comprising the Ibovespa lost close to $ 1 trillion in government Dilma

http://www.gazetadopovo.com.br/…/empresas-brasileiras-perde…
http://www.financista.com.br/…/bolsa-perde-us-1-trilhao-em-…

Based on investor participation in the stock market composition: 29% foreign investment, 11% institutional, 7% Individuals (http://www.bmfbovespa.com.br/…/BuscarParticipacaoInvestimen...) it is noted that the increase in US dollars in the next room to R $ 4.00 in Brazil there was a stampede of foreign investors for the loss of investment grade by one of the three credit rating agencies (http://g1.globo.com/…/brasil-perde- degree-of-investment-in- …).

The World Cup not nearly left the legacy in terms of promised infrastructure (http://www.gazetadopovo.com.br/…/que-legado-a-copa-nos-deix…)

It will be held the Olympiad with investment billionaire whose temporary effect (tourism) had reflected more weight just in Rio state

The great works of government (PACs), for the most part, has not complying with deadlines, have been abandoned as well as overpriced.

http://atarde.uol.com.br/…/1714803-atrasos-no-pagamento-de-…
http://www.pbagora.com.br/conteudo.php…
http://www.regiaonoroeste.com/portal/materias.php?id=126594

The state has grown so that today it has become unsustainable. That have forced both the country and the states have to negotiate cuts in social programs in cutting place in commissioned positions (whose existence and incidence is an aberration) in order to comply with the Budget Guidelines Law. As long as they are not changed items of Law for Dibra her power as in the case of the shameful approval of PLN 36/14

http://www.ebc.com.br/…/entenda-o-que-e-o-pl-3614-que-muda-…

The Minister of Finance has adopted a myopic vision for the financial sector. Foreign exchange swaps to control the rise of the dollar has generated profits en around R $ 120 billion for banks.

http://politica.estadao.com.br/n…/geral,nova-noticia,1710048

One of the highest interest rates in the world justified by the control of inflation but also prevents a greater output of dollars of the country that could lead to a large imbalance Macroeconomic.

The economic picture is not the best, and the debate can not be limited only to whatone or another proposes to get out of this situation. a rational awareness of the current situation and an expansion is necessary in order to expose, based on made aware and civic position, what each of us wants to improve the country’s situation consistently.

Padrão
Informativo, Sem categoria

Saudações! / Greetings!

Há Brasil afora economistas (como eu) inconformados com o silêncio da nossa classe ou de sempre ouvir o mesmo discurso míope de professores doutrinadores de uma ou outra ideologia. Por isso, senti a necessidade de criar um espaço de expor um debate mais amplo, de uma conversa sem adjetivos de qualquer tipo e mais pragmática. Uma conversa que abra espaço e inclua visões de todo tipo de origem, tais como: Economia Clássica, Neo-Clássica, Schumpeteriana, Keynesiana, Behaviorista, Marxista. O enfoque dentro da gama de assuntos que compõem a economia é sobre o Desenvolvimento Econômico levando em consideração a evolução de seu significado e a definição mais moderna.



There are in Brazil economists (like me) unhappy with the silence of our class or always hear the same myopic speech from scholars teachers of either ideology. Therefore, I felt the need to create a space to expose a wider debate, a conversation without adjectives of any type and more pragmatic. A conversation that open space and includes views of all types of origin, such as: Classical Economics, Neo-Classical, Schumpeterian, Keynesian, Behaviorist, Marxist. The focus within the range of subjects that comprise the economy is on the economic development taking into account the evolution of their meaning and the more modern definition.

Padrão